Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu Varufakis porque me apetece!

Sou louco, tenho 47 anos e há na loucura um prazer que só os loucos conhecem.

Sou louco, tenho 47 anos e há na loucura um prazer que só os loucos conhecem.

O Varu acha piada!

As mulheres não gostam de ser vistas como um qualquer objeto sexual, ficam todas indignadas quando recebem piropos e cenas do genero.

Entretanto metem um par de mamas novo e fartam-se de postar cenas em ângulos onde as mamas tapam o resto da paisagem, depois recebem de tudo como comentários!
Isto faz-me lembrar um cão perneta que sempre que passo de carro ele corre atrás dos, mesmo após ter sido vitima de um brutal atropelamento.

Esta nossa necessidade de protagonismo não é nem mais nem menos do que apregoar falsos slogans e depois estar ali, danadinho (a) para que se, já que ninguem lê o que se escreve, ao menos que se gale as mamas.
Confesso que gosto de um belissimo par de mamas, mas eu como sou operário, estou fartinho de silicone! 

O Varu estudante

Estou a meio do 2º Semestre do segundo ano, 

Continuo careca, tenho 3 pêlos brancos na barba.

Estou mais gordo e com barriga de uma alimentação tipica de quem começa a trabalhar às 8 da manhã e sai da faculdade às 23 e só chega depois das 00.

E da cerveja, mas isso são complementos.

Estou fartinho da faculdade, se não fossem as varuzinhas a começarem a andar com os tornezelos à mostra eu nem sei o que fazia!

Enfim. é isso... 

 

O Varu em modo espera... E Fartinho de greves!

Eu confesso que vivo um pouco a leste deste mundo, ando sempre a mil, ontem estive todo o dia fechado numa biblioteca, armado em rato, para tentar estudar para uma frequência desta minha eventual licenciatura aos 50 anos!

Tudo a ARDER E EU ALI!

Enfim… Ando há um amendoim e meio para renovar o meu cartão de cidadão, só que não. Agendamentos, só para Junho, nas conservatórias, senhas, só às 5 da manhã, nada como juntar os utentes do serviço nacional de saúde nas conservatórias ou vice-versa e assim só se davam 4 voltas ao mesmo edifício!
Mas hoje consegui, foram apenas 6 horas para tirar uma foto-horribilis e esfregar os dedos numa coisa! Uma coisa muito insensível, fiz-lhe festinhas no ponto G e nem agradeceu!
Que belo dia de trabalho, depois disso, contagiado pela histeria global, fui a pé para casa para não gastar gasóleo, já que as filas tambem estavam capazes para dar a volta aos edifícios!
Enfim, admito o direito à greve, admito o direito à indignação e à revindicação, o que me custa a entender é que se banalize uma arma tão poderosa, já não estamos do lado de que quem até ganha muitíssimo bem, mas que pára as exportações e importações, de quem com um gesto e uma ação concertada, prejudica a economia de Portugal, fazendo apenas e só um olhar para o seu umbigo!
Pois eu... Umbigos, só de varuzinhas!

O Varu está mais morto que vivo, mas está vivo!

Isto cheira a bolas de naftalina!

A minha vida de universitário está a dar cabo de mim, bem como como esta vida de empresário que me leva a ter resmas de Varuzinhas interessadas em me dar assistência, não só nas viagens, como nas paragens e afins...

Enfim, continuo pequeno (gordo) e careca, isto da evolução da espécie é uma aldrabice, valha-me  a mais- que-tudo e o meu amendoim que felizmente não é uma avelã!

Já dei noticias, beijos nessses umbiguinhos Varuzinhas. 

O Varu impotente, quando devia de ser Capaz!

Como bom Português que sou (apesar de ter nascido na Grécia, ter vindo de barco a remos da Trafaria até lisboa, novinho tenra idade) não há que enganar, pois tenho a fisionomia típica do verdadeiro macho latino, baixo, gordinho e careca, e que pontualmente ando com o amendoim à mostra!

Como tal vou falar de vários assuntos pela sua ordem de importância, em primeiro lugar, o caso do Bruno Carvalho, em segundo lugar o golo do Renato e em 3º lugar a o caso da criança agredida por um tipo que pelos vistos andava a passar fio dentário na mãe da criança há cerca de dois meses!
Pensei que a progressão na carreira demorasse mais tempo!

Eu nem sei como é que aquela cabra, ainda tem os dois dentes da frente, não faço ideia o porquê das “capazes” e da ritinha não ter vindo a terreiro opinar sobre o assunto, muito provavelmente esta cabrinha raça castor não dá para esse peditório, ou talvez seja por ela ser capaz de pinar e ser fértil como as cabras do  latifúndio por de trás do meu quintal.
Por favor, alguém lhe meta algodão da boca e à outra no sitio que se sabe!

Para mim são tão culpados a mãe, o pai, como o dito comedor de cabras, ou até mesmo o Pan, as associações de apoio às cabras e porcas que apenas aparecem a terreiro para abrir a boca quando o mangalho é grande!

Enfim, vivemos neste pais pequeno, cheio de associações subsidiadas e “sem fins lucrativos"!

O Varu é fraquinho, mas...

De facto, sou fraquinho mas não sou modesto. Há muito tempo que não vinha ao blog, ainda que também não o tenha há muito tempo, no entanto e a olhar os numeros, não fossem eles tão maus, eu quase que me sentia o gordinho careca mais sexy e interessante de toda a internet e arrabaldes. Obrigado publico em geral e varuzinhas em particular.

O Varu Voltou, podem me "Xingar"!

A respeito dos refugiados e de tantos outros que andam por ai a vaguear.

Em primeiro lugar temos de saber distinguir o que é um refugiado entre toda uma série de qualificações para pessoas que pretendem de mudar de pais, continente só porque procuram uma vida melhor.

As reformas devem ser estruturais e nunca conjunturais, não podemos olhar para o sítio para onde se deslocam sem que antes saber de onde partem e porque partem.

Isto é triste, o mundo é triste, este mediatismo criado à volta de barcos, cheios de tipos com 20 e 30 anos, em forma, que o sonho deles é jogar à bola e entre outras coisas, se calhar lá no fundo é… Trabalhar!

E no entanto fazemos disto um espetáculo triste à moda de uma boa tragédia Grega!

Não contem comigo, recuso-me a olhar para isto de modo minoritário, não é… Muitos desses países são maiores que o nosso pequeno Portugal, sim… Há por lá mais Alentejo, mas não há por lá tão nobre povo como os nossos guerreiros Alentejanos, pois esses, fizeram do pó e do pão e água o seu modo de sustento.

É um facto, percorremos o mundo à procura de um mundo melhor, ainda o hoje o fazemos e eu tenho um filho lá do outro lado do mundo.

Digam-me… Os mexicanos fogem do quê? O México é uma das economias mais promissoras do seculo XXI são efetivamente quase tão corruptos como em Portugal, só lhes falta um Free-Port, no entanto eles não se preocupam nada em usar as crianças em prol dos seus interesses próprios.

Não olho para isso, da forma como se fala, olho mais para o que foi aprovado na Hungria, para as extremas-direitas a crescer por esse mundo fora, por ter políticos que foram condenados e reeleitos em braços pelo povo.

Por favor parem de olhar para fora, a mudança começa em nós, se sou racista, sim sou, não quero ter ciganos a morar no prédio, nem no prédio ao lado.

É triste sim, é… E sabem porquê, porque eles não sabem respeitar e viver em comunidade.

Já visitei países africanos em que os muros que os separam, dava para fazer 10 entre os Estados Unidos e o México!

Que hipocrisia reina neste mundo!

Devemos acima de tudo ter a noção de que o problema é estrutural e que se arrasta há décadas, seculos, não sendo por isso um problema deste ou aquele presidente.

No entanto e porque a situação exige reflexão, temos de entender que o México deixa que sejam tiradas fotos a crianças a dormir do outro lado do arame!

É fácil ser-se popular quando uma foto mostra o outro lado, ainda que o nosso lado por vezes seja tão ou mais perverso e triste.

O Varu em modo consultor de moda.

A sério Varuzinhas, não usem na rua roupa a imitar pijamas!

Parecem desleixadas, nada sexy’s e nem tão pouco sensuais.

Acreditem que quando uma varuzinha é boa até de fato-macaco fica bem, mas isso é uma em mil.

Acho piada às modas, as mulheres normalmente colocam entraves aos homens por tudo e por nada em relação ao nosso jeito ou falta dele na escolha das indumentárias e depois vergam-se ao poder das modas e dos critérios de aceitação social que são em tudo duvidosos e que na prática deixam um amendoim sem interesse.

Já nos bastava a selva tropical da moda das leggins coloridas, pijamas não!

E prontus, de maneiras que é assim!

Tenho dito.

Varu, a opinião que conta! Ou não...

Quando o dia do pai é uma espécie de dia das mentiras!

A brincar a brincar anda por ai muito filho a chamar pai à pessoa errada.

Eu Bicho Varu, do alto do meu mau feitio já por disse por variadíssimas vezes que sou contra esta cena dos dias por isto e por aquilo, quando a sociedade tende em banalizar as coisas eu tenho uma especie de mau feitio e fico do contra, não que eu precise de mau feitio para ficar do contra ou vice-versa!

Vamos lá meter as feministas de biquinhos das mamas em riste; Eu sou defensor que todo o nado vivo e morto deva ser alvo de teste de ADN para verificação de paternidade.

Ponto final paragrafo (comentário para as que se atreverem a contestar o que eu estou a dizer)!

Agora a sério, e apelando ao meu bom senso, sou a favor do cliché de quem não é pai quem faz mas sim quem cria e dá o que tem para dar, sim isso é tudo muito bonito, mas só é bonito e exequível num mundo onde todas as cartas estão postas na mesa.

A césar o que é de césar e ao seu o que é seu, seja ao pai seja ao filho, pois infelizmente muitas vezes não é assim que se processa e todas as regras do jogo são adulteradas em prol de um status da mulher ou de um amor que ela coloca à frente de um outro ser, seja ele quem for!

É certo que há por ai muito homem que deu a queca (para as feministas, foi sozinho) com alguém e foi tudo um erro e qual a melhor forma de tratar um erro? Gerar outro erro.

Podem xingar-me mas existem mulheres vítimas de maus homens com existem o contrário e também existe muita criança cujas mães o único buraco que devia ter sido preenchido era o da orelha do lado esquerdo (momento em que evitei ser bloqueado).

Sou a favor da liberalização de testes de tudo o que que possa levar á transparência, de tudo o que possa defender o erro e a má-fé, para tudo e todos que jamais devem ser vitimas da mentira e do abuso de alguém que passa os seus erros.

Vamos cá ver uma coisa, infidelidade não tem nada a ver com o esconder um filho do seu verdadeiro pai ou de mentir a outro que julgue ser o pai.

Enfim, vivemos num mundo cruel onde se defende o direito à maternidade mas onde os direitos à paternidade deixam muito a desejar.

 

E “Prontus de maneiras que é assim!”

 

O Varu com opinião!

Quando o odio é o mais forte dos sentimentos, vivemos na era em que o que move o mundo não é o amor, a fraternidade nem a condescendência ou sentimentos do género, o que move as pessoas é o odio e tudo o que de bom e de mau ele nos traz.

Eu já não falo em racismo, feminismo, machismo, xenofobia e outras tantas coisas acabadas em “ias”

Para onde eu mandava de facto algumas pessoas “ias para ai, ias…” Mas não até porque não sendo eu um bicho bem-educado hoje não me apetece!

Irrita-me as pessoas que só falam das coisas quando lhes apetece, ou quando odeiam alguém e fazem disso arma de arremesso, esquecendo-se muitas vezes do passado e usam e abusam de slogans de circunstância.

Acho que o Trump sempre irá servir para alguma coisa de útil ao “mundo” após mais um massacre feito por mais um parvalhão naquela terra de gente parva, que me desculpem as vítimas e familiares das vítimas mas ali a concentração de gente parva é mesmo muito elevada.

Achei piada fazerem uso de sobreviventes para uma campanha contra o Trump, e contra o uso de armas.

Desde que me conheço que vejo ano após ano esta discussão a ser levada à praça pública com os mais diversos interesses políticos, sociais e económicos a serem debatidos e tidos em consideração, acabando sempre por prevalecer o interesse das armas e tudo o resto são manobras de diversão.

Ao ponto do eis presidente, agraciado com um Nobel da paz, nada ter feito parta alterar a lei de compra, posse e uso de armas naquela nação de vaqueiros e cowboys!

Agora, parece que finalmente o odio que a nação nutre (ou pelo menos parte dela) pelo Trump os vai levar a uma cruzada sem precedentes para acabar com tão famigerada lei!

Valha-nos o odio e o poder das massas, finalmente ao que parece algo vai mudar naquela triste nação.

Trump afinal vais deixar legado!