Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eu Varufakis porque me apetece!

Sou louco, tenho 45 anos e há na loucura um prazer que só os loucos conhecem.

Sou louco, tenho 45 anos e há na loucura um prazer que só os loucos conhecem.

Quem Conta Um Conto...#10 Proibido

A pedido da Mulinha mais sexy da Internet e arredores aqui o bicho teve de engendrar aqui um seguimento para a trama.

Não está fácil e por isso decidi ( Sim porque eu mando) em fazer isto em dois atos, como a Fatia fez e muito bem, era preciso encorpar a história, sim porque a vida não é só sexo! (Eu nem acredito que disse isto, deve ser por causa das minhas costas!)

Então cá vai;

19127266_tq6Z3.jpg

 Na Casa onde Ana e Pedro se encontravam, o espaço físico era dominado por um vazio de som ensurdecedor, até que Pedro diz;
- Ana convidei o Vasco para vir jantar cá a casa no próximo sábado.


- Quem?
Responde Ana com o gelo a tomar o seu corpo de assalto, a sua expressão facial ficou petrificada, o vazio do som foi rasgado por um trovão!


- O Vasco da empresa que nós estamos em negócio, achei que era um ato de cortesia e que nos poderá ajudar na concretização deste negócio.


- Mas porque, achas que havia necessidade, não percebo, não percebo, mas tu é que sabes.


- Ana, porque estás assim tão abespinhada, fala comigo… escuta, tu por acaso achas que eu sou parvo ou cego?!
Disse Pedro, ao ver que de facto não se enganara e de facto havia ali uma situação para explorar.


- Porque dizes isso, o que queres? Deixa-me tenho imenso que fazer.
- O que se passa contigo? Andas estranha, julgas que eu não vejo a forma como tu olhaste para ele?
Julgas que não sinto como tu andas…


- Outra vez a mesma conversa, estás a tornar-te possessivo, não tenho paciência!


- Possessivo, eu? Dizer à minha mulher que se nota a léguas que está diferente e que está a fazer por marcar isso, é ser possessivo!
Desculpa, mas algo está errado, Ana tu mete os olhos em ti, faz um flash do teu comportamento.
Estás disponível, nota-se como te preparas, como te vestes, como te moves, até no sentar.
Sentes-te mais segura de ti, mais sensual, fazes por estar mais sexy, eu bem vejo o teu olhar de desejo quando olhas para um homem que te interessa, pareces que navegas nos seus braços, sem que te aproximes dele.
Da forma como finges não olhar, tudo em ti neste momento cheira a sexo!


- Eu não sou como tu! A minha vida não gira à volta do sexo!


-Dizes tu, dizes tu minha querida, para já eu não sou parvo e depois é pena que não te filme, aliás nem preciso de o fazer pois tu és uma mulher esclarecida e podes não querer dar-me razão, mas no fundo tu sabes que eu tenho razão.
Eu sei que me traíste, e tens vontade de o voltar a fazer.


- Não fiz nada disso! Não sei o que pretendes mas eu não estou para ter esta conversa!
Responde Ana com a voz alterada.


-Calma deixa-me falar… Eu não estou irritado, ou quer dizer, não sei…
Pedro puxa de uma cadeira e senta-se, com Ana de pé, sem saber muito bem o que fazer, sentia-se ali despida, a tentar gerir os movimentos e emoções, pensando que fora descoberta!
- Eu sei que não tenho sido o melhor dos maridos, sei que não acredito no amor e que para mim sempre encarei a vida pelo aspeto familiar, o melhor para ti, o melhor para os filhos vida e trabalho.
Pensava eu que a tua valorização estava no que te podia dar, na tua tranquilidade, o sexo para mim contigo, era isso, talvez eu tivesse gerido mal a situação e agora tu estás numa nova fase da tua vida.
Acontece que na minha opinião não estás a saber geri-la, pois deste demasiado nas vistas e estás como se diz na gíria a ir com demasiada sede à fonte!


Ana estava incrédula com as palavras de Pedro, por momentos ficou ali numa espécie de 5ª dimensão sem conseguir entender bem o que se estava a passar.


- Eu não sou ciumento, é claro que ninguém gosta de ser traído, eu gosto de ti, apesar de tu pensares que não!


- Eu nunca te disse isso! Sei perfeitamente que gostas de mim.


- Olha, vou dizer-te uma coisa muito a sério.
Eu noto perfeitamente o teu estado de espirito, a tua disponibilidade, entendo que tenhas fantasias pois eu também as tenho, pena é que não falemos sobre elas!
No entanto há uma coisa muito importante e é sobre isso que tu terás de refletir.
Foi sexo? É isso que procuras? É amor, estás apaixonada? Tu estás toda baralhada, estás a misturar tudo, mas sobre isso não há nada que eu te possa dizer que tu tenhas em consideração ou que te ajude.
Pedro num estado de espirito triste tenta refletir e num comentário final diz…
- De momento não vou pedir o divórcio, vou deixar que reflitas que me digas o que tens para dizer, a vida é feita de escolhas e tu estás a fazer as tuas.


Ana gelou, como se isso fosse possível, pois o seu corpo que há muito estava já totalmente gelado, o seu mundo desabou, o chão desapareceu debaixo dos seus pés!

Era impossível conter as lagrimas que brotavam dos seus lindos olhos, ficou ali parada de costas para Pedro.


- Eu não me importo que fodas com outro Homem, diz Pedro no seu jeito para tentar quebrar o ambiente! Até porque sei que o fazes e queres continuar a faze-lo, se sou liberal, se calhar sou ou então tenho a mania que sou, não sei!
O que quero é que te sintas bem com as tuas escolhas e que tomes consciência que é só sexo, ou então se estás apaixonada diz-me e acaba aqui.


Não estou de forma nenhuma a dar-te carta-branca, estou apenas a querer dizer que quero que quero que partilhes as tuas fantasias comigo., que pelo menos sejas honesta contigo mesma!


Quanto ao jantar, nós vamos mante-lo, faz-me uma lista e eu tratarei disso, tens até Sábado para pensar e eu também!

O silêncio voltou a imperar, só rompido pelo ténue som das lagrimas de Ana.

42 comentários

Comentar post